( 1 Voto )

 

Os colaboradores e alunos do IABC participaram, neste fim de semana 16 e 17 de outubro do final de semana da Educação Adventista.

 

Foram momentos de cultos e palestras com o Pastor e Educador Orlando Mário Ritter que enfatizou o papel que a Educação Adventista desempenha no mundo e qual a sua importância  na formação dos jovens.

Os programas ainda contou com o testemunho do Educador Orlando Mário que foi desenganado pelos médicos, sobreviveu a oito cirurgias e 30 dias em coma

Acompanhe abaixo um resumo de sua vida:

Orlando nasceu em São Paulo, em 1957, e atualmente reside em Artur Nogueira, SP. Filho de Orlando Rubem Ritter e Edda Balzi Ritter, graduou-se em Química e Pedagogia. Em julho de 1981, casou-se com a enfermeira Sueli Maris Leite Ritter e teve dois filhos: Orlando Rubem Ritter Neto e Rafaela Maris Ritter. Em 1999, foi ordenado ao ministério pastoral e, em 2003, recebeu o chamado para atuar no Departamento de Educação e Saúde da União Central Brasileira, onde permanece até hoje.

Quase dez cirurgias, mais de dois meses de internação e 30 dias em coma. Esse foi o “calvário” enfrentado depois de passar por uma cirurgia para extrair um tumor, seguida de um acidente cirúrgico. Sua vida “virou de ponta cabeça”, mas a experiência mudou suas perspectivas

Como o senhor “encarou a morte” e sobreviveu? Fale um pouco sobre essa experiência.

Orlando Mário Ritter:

Em junho de 2013, comecei a sentir um desconforto abdominal. Fui ao médico, fiz alguns exames e, uma semana depois, tive o diagnóstico de câncer no cólon. Foi marcada a cirurgia para o dia 7 de julho de 2013 e, se tudo desse certo, em cinco dias eu teria alta. Lamentavelmente, não foi o que aconteceu. Devido a um acidente cirúrgico (perfuração do ureter), passei por quatro grandes cirurgias e quatro pequenas, 73 dias de internação, sendo 30 na UTI, entubado e em coma. Um dia antes da terceira cirurgia, meu estado de saúde era tão delicado que foi necessário aplicar três eletrochoques para “estabilizar” o coração. A urina que vazava-vazava no abdômen rompeu a costura do intestino (deiscência da anastomose), causando peritonite (infecção e inflamação da cavidade abdominal). O líquido começou a “migrar” para a cavidade pulmonar, tornando extremamente difícil a respiração. A notícia do óbito só não foi anunciada porque Deus agiu poderosamente, evitando a morte certa. Andei pelo “vale da sombra da morte” e milagrosamente recebi de Deus uma nova oportunidade de viver. (adptado Revista Adventista)

O Educador viveu momentos dificéis mas não abandou sua fé. Seu testemunho emociou a todos no IABC!

 
Comentários (0)add comment


busy